quarta-feira, abril 27, 2011

CUIDADO COM A BRONQUIOLITE !!!!!!

A Bronquiolite é uma infecção dos bronquíolos dos bebês (acomete crianças menores de 2 anos, ocorrendo principalmente dos 4 aos 6 meses de vida.) causada por vírus.
Adultos e crianças maiores contraem bronquite; os bebês, bronquiolite.
Pelo fato de seu aparelho respiratório não estar totalmente desenvolvido, bebês prematuros e menores de um ano correm risco maior de contrair a doença.

Sintomas

Respiração rápida com exalações forçadas e longas, febre freqüente, chiado no peito e tosse.

Recomendações


  • Evite, ao máximo, a presença de fumantes perto da criança;




  • Faça com que o bebê repouse e tome bastante líquido;


  • Vaporizações podem aliviar os sintomas;



  • É indispensável o acompanhamento médico num caso de bronquiolite 



  • Cerca de metade dos bebês que contraem bronquiolite desenvolvem asma na infância.




  • O QUE CAUSA?

    A principal causa da bronquiolite é a infecção por um vírus, denominado vírus sincicial respiratório.
    Existem tipos diferentes desse vírus, mas todos estão muito relacionados entre si e se comportam da mesma maneira quando causam a doença.

    O vírus sincicial respiratório pode causar infecção em qualquer idade, mas o seu maior impacto ocorre em crianças menores de um ano, podendo causar bronquiolite e também pneumonia.

    As infecções causadas pelos vírus no trato respiratório deprimem os fatores de defesa da criança, podendo abrir caminho para uma posterior infecção causada por bactérias, como uma pneumonia, sendo essas mais graves.

    QUANDO OCORRE ?

    O vírus sincicial respiratório possui o pico de incidência nos períodos de temperaturas baixas.
    A bronquiolite parece ser mais comum e também mais grave nas crianças do sexo masculino.
    Crianças que freqüentam creches podem contrair o vírus mais facilmente, pois estão em contato próximo em um ambiente fechado, com outras crianças que podem estar contaminadas.

    COMO OCORRE ?

    O vírus sincicial respiratório possui uma grande afinidade pela parede que reveste internamente os bronquíolos, podendo assim, causar um distúrbio respiratório importante.
    O vírus penetra no organismo através da mucosa nasal, camada que reveste o nariz internamente, e após um período de cerca de 4 a 5 dias a criança começa a apresentar sintomas como secreção e congestão nasal. Geralmente a infecção se resolve espontaneamente a partir desse ponto.
    As células epiteliais lesadas dos bronquíolos estimulam a migração de células de defesa, como leucócitos e macrófagos para o local, favorecendo uma resposta inflamatória.
    O interior dos bronquíolos contém secreções que são em parte responsáveis pela obstrução das vias respiratórias, consistindo em obstáculo ao fluxo de ar.

    COMO É O QUADRO CLÍNICO?

    A doença em lactentes menores de quatro meses pode se apresentar com sintomas inespecíficos ou mesmo a parada da respiração, que pode ser causa de morte súbita.
    Apenas lactentes maiores de quatro meses apresentam as manifestações clinicas típicas da doença.
    A maioria dos pacientes apresenta sintomas leves. A presença de cianose, que ocorre quando as extremidades dos dedos e os lábios ficam arroxeados, indica falta de oxigênio grave.
    À ausculta dos pulmões pelo médico é percebido ruídos generalizados acompanhados de chieira.

    QUAIS SÃO AS ALTERAÇÕES AO RX?

    As alterações são inespecíficas e incluem excesso de ar nos pulmões que se tornam aumentados de volume com alargamento dos espaços intercostais. O músculo diafragma se apresenta rebaixado e retificado.
    Freqüentemente é difícil diferenciar pelo raio-x de tórax uma bronquiolite e uma pneumonia viral.
    O raio-x de tórax pode ser de grande valor em pacientes hospitalizados, podendo mostrar a presença de algumas complicações como uma infecção bacteriana.
    Sugere-se o uso do raio-x quando é necessário um tratamento médico intensivo, quando ocorre piora súbita da condição respiratória ou quando existem doenças pulmonares ou cardíacas previas.

    COMO É O TRATAMENTO?

    Não existe tratamento específico para a bronquiolite. Para pacientes que não apresentam fatores de risco, ela é auto-limitada, ou seja, melhora espontaneamente.
    A maioria dos pacientes é tratada sem internação, com a utilização somente de medidas de sustentação. São elas: repouso, hidratação oral, aleitamento materno, banhos mornos e antitérmicos em caso de febre.
    A internação está indicada quando há esforço respiratório intenso (dificuldade em respirar), alteração de consciência, cianose (extremidades arroxeadas), baixa-idade (1-4 meses) ou alguma doença grave associada.

    O que os pais podem fazer em casa contra a bronquiolite em crianças e bebês ?

    Faça com que a criança tome líquidos. Não se preocupe se ela não tem vontade de comer alimentos sólidos.
    Use um vaporizador com água fresca (não muito fria) no quarto enquanto a criança estiver dormindo.
    Deixe que a água quente corra na ducha ou na banheira para fazer que o banheiro se encha de vapor e fique ali com sua criança em caso que esteja tossindo com força e tendo dificuldade de respirar.
    Não dê aspirina ao seu filho. A aspirina está associada à síndrome de Reye, uma doença pouco frequente do cérebro e do fígado.
    E no caso de que o quadro não mude, não duvide em levá-lo logo ao médico.

    O contágio da bronquiolite infantil:

    O contágio dá-se como num resfriado: através do contato com a saliva e o muco, e as crianças maiores geralmente não adoecem tanto como as pequenas.
    Pode-se prevenir o contágio mantendo a criança doente em casa até que a tosse tenha passado por completo.
    Procure lavar as mãos depois do seu contato com a criança doente para evitar que o vírus se estenda a outras pessoas.


    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:z-zJ4vvBDJwJ:br.guiainfantil.com/saude/179-bronquite/304-bronquiolite-em-criancas-e-bebes.html+bronquiolite&cd=2&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&source=www.google.com.br

    domingo, abril 24, 2011

    MENSAGEM DE PÁSCOA

    FELIZ PÁSCOA !!!!!!!!

    " Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16




    O feriado de Páscoa, que é comemorado hoje chegou e é hora de refletir um pouco sobre a data. Alguns aproveitam para viajar, aproveitar para descansar, se divertir e reunir toda a família. O importante é não deixar a data passar em branco. Saiba um pouco da história da data
    A origem da data

    Como todos sabem, a Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. A data é considerada o dia santo mais importante da religião cristã. Mas, muito antes de ser considerada como a festa da ressureição de Cristo, a Páscoa anunciava o fim do inverno e a chegada da primavera. A data sempre representou a passagem de um tempo de trevas para outro de luzes, muito antes de ser considerada uma das principais festas da comunidade cristã. Portanto, para entender as origens e o significado da Páscoa, é preciso voltar ao tempo e mergulhar nas histórias da Idade Média.

    Os famosos ovos de Páscoa:

    O ovo é, sem dúvida, um dos símbolos mais conhecidos da Páscoa. Afinal, ele contém o fruto da vida, que representa o nascimento e a renovação. Antigamente, os chineses, gregos, egípcios e outras civilizações acreditavam que o mundo havia surgido a partir de um ovo. Na Índia, por exemplo, acredita-se que uma gansa chamada “Hamsa” chocou um ovo cósmico na superfície das águas primordiais e depois de dividido em duas partes, o ovo deu origem ao céu e a terra. Já na tradição cristã, o ovo surge como uma renovação periódica da natureza.

    E os coelhos?

    A tradição do coelho da páscoa chegou na América por volta de 1.700 através dos imigrantes alemães. O coelho visitava crianças e escondia ovos coloridos para que elas encontrassem na manhã de páscoa. Existe ainda outra história de uma mulher carente que coloriu alguns ovos e os escondeu em um ninho para presentear seus filhos na páscoa. Quando as crianças descobriram, um grande coelho passou correndo. Por isso, espalhou-se a história de que o coelho trazia os ovos.

    De todas as existentes, a teoria mais correta é que a origem da imagem do Coelho na Páscoa está na fertilidade que eles possuem, afinal, geram grandes ninhadas. Por isso, os animais são vistos como símbolos de renovação e início de uma nova vida.

    terça-feira, abril 19, 2011

    COMO ESCOVAR OS DENTINHOS DO SEU BEBÊ !!!!


    Como faço a higiene?


    Todos nós sabemos da importância de uma higiene bucal rigorosa em nosso dia-a-dia.
    O que muita gente ainda não sabe é da importância da higiene bucal dos bebês.
    Mesmo que ainda não possuam nenhum dentinho é importante que a boca seja higienizada sempre que o bebê se alimentar.

    A higiene para a boquinha dos bebês pode ser com gaze ou com a ponta de uma fralda molhada em água filtrada.


    Quando o bebê já tiver dentinhos, já deve ser com escovinhas, claro que infantis (hoje é bem especificado nas embalagens a idade e o tamanho de cada escova infantil), que possuem cabeça pequena, cerdas macias e arredondadas e todas bem coloridas…


    Mas mamães, NÃO usem pasta dental contendo flúor na criança menor de seis anos por risco de FLUOROSE, futuramente falarei sobre isso com mais detalhes. Uma pasta sem flúor que se encontra na maioria das farmácias e drogarias é a Malvatrikids baby.
    Até por volta de seis anos, a criança não tem habilidade suficiente para fazer a escovação, então sempre que possível um responsável deve estar supervisionando e finalizando a higiene com fio dental e escovando dentes e língua.
    O BEBÊ E A ESCOVAÇÃO

    O bebê de mais ou menos quatro meses já deverá estar se familiarizando com a higiene bucal, vendo os pais executarem a escovação diária. Se a gengiva do bebê for estimulada com a escovação estará sendo iniciado no bebê o esperado hábito de higiene bucal, segundo especialistas na área de psicologia.



     

    1º Fase - Quando for escovar seus dentes faça-o de maneira que o seu bebê veja. Isto servirá de exemplo para ele. Ao enxaguar a boca faça-o com bastante evidência. Seu bebê estará aprendendo.

    2º Fase - Ao escovar novamente seus dentes, dê ao bebê a escova Científica Baby (cabo menor) sem creme dental. Escove normalmente seus dentes. Deixe seu Bebê imitá-la realizando sua "higiene bucal".

    3º Fase - "Corrija" a escovação realizada pelo bebê utilizando para isso a Científica Baby (cabo longo), higienizando cuidadosamente tudo o que for possível tocar: gengiva, língua e dentinhos (se tiver). Não tem perigo algum pois a escova é extremamente suave.

    Restos de alimentos, mesmo do leite da mamãe, ficam na boca do bebê, na língua e gengivas, levando a um acúmulo de microorganismos, que aumentam o risco de infecções como por exemplo – o sapinho.


    E quando nascem os dentinhos, os bebês podem ter cárie.
    ISSO MESMO, sendo comum naqueles bebês que tomam mamadeira com açúcar e  não fazem a higiene depois.

    Qual a idade certa para levar o meu bebê ao dentista?

    Não existe idade ideal para levar a criança ao dentista, pode-se levar a criança por volta dos seis meses, que é a idade que geralmente erupciona os primeiros dentinhos de leite, mas é importante que a mamãe saiba desses cuidados básicos de higiene comentados acima.


    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:nMP3Mxeii4IJ:babycoolbrasil.blogspot.com/2009/02/escova-de-dentes-para-bebes.html+Todos+n%C3%B3s+sabemos+da+import%C3%A2ncia+de+uma+higiene+bucal+rigorosa+em+nosso+dia-a-dia&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&source=www.google.com.br




    http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:c0xeTb2HOQEJ:falamamae.com/meu-bebe-nao-deixa-escovar-os-seus-dentinhos-o-que-eu-faco+MEU+FILHO+N%C3%83O+DEIXA+ESCOVAR+OS+DENTES&cd=8&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br&source=www.google.com.br

    segunda-feira, abril 18, 2011

    O FAMOSO BRENO!!!!

    No mês passado, a repórter do IG (Ana CArolina Addario) entrou em contato via e-mail comigo questionando com relação a uma possivel entrevista sobre o Blog do Breno. Intuito...
    Topei em responder as perguntas dela e sem que esperássemos a matéria foi publicada.

    Achei a coisa mais fofa...
    Tornar pública a história do nosso guerreiro facilita nossa comunicação com pessoas que vivem situações parecidas, pessoas que já passaram ou que ainda passam por complicações devido a prematuridade extrema de um bebê.
    Volto a dizer que não é nosso intúito expor nosso filho, mas sim compartilhar informações, palavras de carinho, conforto, esperança e energia positiva para quem quer que seja.

    Temos em nossas mãos a prova viva de que milagres existem, de que Deus está no controle de tudo e que tudo acontece no tempo dele, não no tempo em que achamos oportuno.
    Cada minuto vivido ao lado do nosso principe é agradecido, cada instante é registrado como forma de gratidão ao único que nunca nos abandonou: Deus!


    LINK DA REPORTAGEM:

    http://delas.ig.com.br/filhos/perfis+infantis+criados+pelas+maes+invadem+as+redes+sociais/n1596826891252.html





    Parabéns Bia, minha irmã amada !!!!

    Sexta-feira foi aniversário da irmã do Breno: Beatriz.
    Como o tempo voa............ ela já tá com 11 anos.... quem diria!

    Comemoramos ontem junto com o da Vovó Cida!

    Felicidades lindona, sucesso, saúde, amor e muitaaaaaaaaaa energia positiva pra você!


    Nós te amamos muito e você sabe disso!!!

    Beijos no coração:
    Breno, Papai e Tia Vi !!!!!!!


    PARABÉNS VOVÓ CIDA!!!!!







    Ontem foi aniversário da Vovó Cida!
    Cortamos um bolinho para não deixar passar em branco........
    Que Deus a abençoe e que dê a ela vida longa para que ela continue cuidando de nós durante muitosss e muitossss anos!

    Te amamos vovó !!!!

    quinta-feira, abril 14, 2011

    GASTROSTOMIA ENDOSCÓPICA

    "A Gastrostomia Endoscópica é indicada para pacientes que, por diversas razões, não têm capacidade de se alimentar de forma satisfatória, devido a distúrbios de deglutição necessitando, desta forma, de um suporte nutricional por longo período, por apresentarem em situação de risco nutricional.

    Geralmente é realizado em pacientes com seqüelas de acidente vascular cerebral (derrame), doença de Alzheimer, mal de Parkinson, síndrome de West, demência senil, tumores da cabeça e pescoço, tumores no esôfago ou estômago, entre outras indicações.
    (No caso do Breno, foi indicado a Gastrostomia por conta da prematuridade dele que faz com que ele gaste muita energia (peso) DEGLUTINDO os alimentos. Com a Gastro, podemos dar o complemento durante a noite. Sempre passo pelo equipo leite integral com Calogem, pois qualquer tipo de engrossante entope o equipo. No caso dele não aceitar qualquer refeição durante o dia, passo pela ciringa diretamente na Gastro o alimento. Dessa forma ele fica sem perder nenhuma refeição e com isso ganha peso rapidamente. )

    Exemplo de equipo para nutrição (ele é azul e mais grosso do que o de soro normal):



    Exemplo de Frasco para nutrição:



    Em conclusão, a gastrostomia endoscópica (que é o caso do Breno) é uma técnica segura, com baixa incidência de complicações. Pode ser realizada em ambulatório, no leito do paciente ou em centro de terapia intensiva e a sua indicação deverá ser a mais precoce possível.

    QUAIS OS BENEFÍCIOS DA GASTROSTOMIA ENDOSCÓPICA ?
    A maioria destes pacientes teriam que conviver com uma sonda posicionada através do nariz até o intestino (sonda nasoenteral) para infusão de dietas especiais, estando sujeitas às suas complicações e necessidades freqüentes de troca das mesmas. Através da endoscopia podemos posicionar uma sonda especial através da parede abdominal diretamente no estômago (gastrostomia), facilitando os cuidados com a mesma, ampliando o leque de opções alimentares para a família, reduzindo as complicações pulmonares e devolvendo a auto-estima dos pacientes, já que a sonda fica por baixo das roupas, facilitando o convívio social.


    COMO É REALIZADA A GASTROSTOMIA

                Gastrostomia Convencional
    ·         Exige anestesia geral, grande incisão abdominal e internação hospitalar prolongada.
    Gastrostomia Endoscópica
    ·         O procedimento é realizado na sala de endoscopia apenas com anestesia local, sem dor para o paciente e com uma mínima incisão no abdomem para passagem da sonda.


    ACOMPANHAMENTO APÓS A GASTROSTOMIA
    Por uma equipe multidisciplinar acompanhada de: fonoaudióloga, nutricionista, fisioterapeuta e profissional treinado para verificar periodicamente o boton.
    O Cuidado é de suma importância para evitar infecções, tais como: granuloma e queimaduras provocadas pelo suco gástrico, normalmente causados pela falta de higienização ou vazamento no local do boton."

    "Só recentemente descobri que há, na Internet, material da melhor qualidade apresentando o bottom em suas características e funcionamento. Trata-se de um vídeo que está no site da Kimberly Clark, produtora do bottom mais comumente usado no Brasil, o MIC-KEY. Como eu jamais poderia mostrar melhor o produto, segue o link para quem estiver interessado em desmistificar este bicho-papão: http://kchealthcare.or-live.com/digestivehealth/enteralfeeding/patients/life_mic_key_video.cfm. O áudio é em inglês, mas as imagens são de tal forma auto-explicativas que mesmo quem não domina a língua entende a mensagem com perfeição.
    Para deixar o bottom um pouco mais fixo e manter a pele ao seu redor sempre sequinha e protegida, fui aperfeiçoando um curativo que garantiu à Teodora uma barriguinha linda.

    Aí vai o passo-a-passo:

    1) Sobreponha duas gazes extra-absorventes (elas têm o aspecto de um "perfex", com a trama bem fechadinha, e podem ser encontradas em casas de material cirúrgico).
    2) Depois, dobre o seu quadradinho ao meio, formando um retângulo. E ao meio outra vez, formando um quadrado bem pequenino.

    3) Na pontinha onde está todo o tecido unido, faça um cortezinho em formato ligeiramente arredondado.

    4) Desdobre. Seu quadradinho terá um pequeno orífício no meio.
    5) A partir do lado aberto da gase, faça um corte para chegar até o furinho feito com a tesoura.

    6) Depois de dar um banho gostoso em seu filho ou paciente, enxugue com muito capricho a pele ao redor e sob o bottom ou da sonda, usando gaze para chegar aos cantinhos mais escondidos.
    7) "Vista" o curativo ao redor do bottom.
    8)Feche a abertura com um pedacinho de micropore.
    9) E pronto. No primeiro (e talvez no segundo) mês após a colocação do bottom, pode ser necessário trocar o curativo algumas vezes ao dia, pois a pele ainda estará muito sensível. Quando a cicatriz "envaginar", uma troca ao dia, preferencialmente após o banho, será suficiente para uma pele saudável."

    terça-feira, abril 12, 2011

    SORTE NA VIDA !!!!





    "...VOCÊ ME DÁ SORTE,
    MEU AMOR
    VOCÊ ME DÁ SORTE
    NA VIDA..."





    

    RETINOPATIA DA PREMATURIDADE








    Achei muitoooo importante divulgar o quanto é importante o acompanhamento de um Oftalmologista especialista em retinopatia de crianças prematuras!
    Muitasss pessoas nem sabem que isso existe... mas é algo sério e que merece atenção !

    "A retinopatia da Prematuridade é uma alteração no crescimento da retina, que está indiretamente ligada à idade gestacional e peso ao nascimento do prematuro.


    Isto é, quanto mais prematuro e menor o peso de bebê, maior a probabilidade de aparecerem as alterações da prematuridade na retina. A hipóxia ou a hiperóxia, transfusão de sangue e as infecções podem aumentar a possibilidade do desenvolvimento da doença.
    Segundo o esquema internacionalmente reconhecido, a retina é dividida em 3 zonas.




    Zona 1
    Corresponde a um círculo, tendo como raio duas vezes a distância do nervo óptico à mácula (tendo o nervo óptico como centro).

    Zona 2
    Estende-se das bordas da Zona 1 e seu raio correspondente à distância do nervo óptico até a “ora serrata” nasal.

    Zona 3
    Corresponde a retina temporal restante. A retina cresce durante o desenvolvimento do bebê, do centro para a periferia. A última Zona a ser atingida é a 3.

    Em muitos casos, a retina é encontrada na Zona 2 ou 3 quando o médico oftalmologista examina o prematuro pela primeira vez.
    Quando o bebê é muito prematuro pode estar com a retina ainda na Zona 1. A retina atinge a “ora serrata” temporal em torno da 42ª semana de gestação.

    Este crescimento natural pode ser interrompido e a quantidade de retina envolvida em extensão é descrita em horas. Por exemplo, da 1h00 às 3h00 são duas horas contínuas da doença.
    A regressão da doença com presença de tração retiniana e deslocamento macular, descolamento parcial ou total da retina de ambos os olhos constituem uma causa ocular para a baixa visão nas crianças prematuras.

    No entanto, essas crianças não são cegas e apresentam um resíduo visual que se desenvolve ao longo dos primeiros anos. A avaliação da acuidade é importante. No entanto, muitas vezes não conseguimos utilizar testes de olhar prefrencial ou tabela de optotipos.

    Nesses casos, podemos avaliar o desempenho visual observando a atenção, o interesse por objetos, pela face do examinador, contato visual e respostas como o sorriso. Naqueles em que mesmo assim não obtivermos resposta, poderemos realizar a observação em ambiente escurecido, com objetos iluminados.

    Algumas vezes, além das seqüelas da retinapatia da prematuridade pode haver uma hipotonia muscular generalizada com deficiência da acomodação. Nesses casos, podemos realizar uma hipercorreção com a finalidade de estimulação para perto no caso de bebês. Quando o descolamento de retina está presente, devemos pesquisar qual o campo visual, por onde a criança percebe os estímulos visuais. Essa é uma abordagem mais difícil, porém possível.

    A estimulação visual não é realizada pelo oftalmologista mas a orientação da família e o trabalho conjunto com os terapeutas são fundamentais. As modificações do meio ambiente, magnificação e orientação familiar são de extrema importância para que essas crianças utilizem esse canal de comunicação com o mundo. Na realidade, nesses casos realiza-se uma habilitação visual e quanto mais precoce, melhores os resultados obtidos.

    Indicação de Clínica Oftalmológica: http://www.eyecare.com.br/

    Referência: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:7jHwwne9BzsJ:isabelperregil.blogspot.com/2008/01/bebs-retinopatia-da-prematuridade.html+import%C3%A2ncia+da+retinopatia+da+prematuridade&cd=9&hl=pt-br&ct=clnk&gl=br&source=www.google.com.br

    sexta-feira, abril 08, 2011

    "Engatinhar torna bebê cuidadoso com altura".

    A cada fase a criança reavalia as próprias limitações e seu cérebro se reorganiza em busca de segurança




    "Alguns animais, como as cabras, já nascem sabendo quais são os locais seguros para escalar. Já os humanos precisam praticar os primeiros passos, aventurando-se por aí. Adquirir habilidade de movimentar-se com precisão requer que a criança atinja maturação neurológica e treine os movimentos.

    Um estudo recente realizado pela professora de psicologia Karen Adolph, da Universidade de Nova York, mostrou que a cada nova fase do desenvolvimento motor os bebês têm de reaprender a se manter seguros. Para testar como os pequenos avaliam os riscos, a pesquisadora colocou crianças de 12 a 18 meses entre rampas de madeira com diferentes alturas. As mães estavam presentes durante a experiência, incentivando os filhos a se locomover.

    Em geral, os que vinham engatinhando havia meses e os que já andavam não subiram em obstáculos muito altos. Mas vários bebês que estavam aprendendo a caminhar marcharam resolutos sobre os objetos – correndo o risco de quedas de até 90 cm.

    “Acreditamos que isso signifique que os que engatinham aprendem a ter medo de altura. Eles sabem o que seus corpos nessas condições podem fazer. Quando o estilo de locomoção muda, precisam praticar para ‘recalibrar’ a percepção de sua capacidade”, observa Karen.

    Quando adultas, as pessoas se ajustam a limitações motoras em diversas situações como ao transferir o peso do corpo para aliviar um pé dolorido ou tomar mais cuidado quando há gelo no chão, por exemplo.

    De acordo com o estudo, essas adaptações são desenvolvidas na infância, quando experimentamos os limites físicos e a possibilidade de cometer erros."


    http://www2.uol.com.br/vivermente/noticias/engatinhar_torna_bebe_cuidadoso_com_altura.html

    quarta-feira, abril 06, 2011

    Rodrigo & Dani - Amigos queridos !

     

    Sábado passamos na casa do Rô pra fazer uma visitinha.... acabamos perdendo a hora e nos estendendo até de noite de tãooo gostoso que tava nosso papo!
    Eles são uns amores, como é gostoso a companhia dos dois!

    Que Deus os abençoe sempre !!!!!!!!

    PS) Breno aspirando a casa e mandando beijo !!!

    VAMOS AJUDAR??????



     Amigos queridos..

    Tomei a liberdade de divulgar no blog do Breno o caso de uma guerreira chamada Manuela.
    Ela está precisando de doação de sangue no Hospital das Clínicas, que tal ajudarmos ???

    Ela tem 4 ou 5 anos (não sei ao certo) e passou por uma cirurgia esta semana para retirar nódulos do pulmão, pois, desde muito cedo, ela luta contra um câncer que já atacou a diversos órgãos do corpinho dela. 

    Tenho certeza de que Deus vai te ajudar a arrumar um tempinho do seu dia pra correr no Hospital das Clínicas e doar, é rápido e nãooo dói !

    Muita saúde, força e fé pra Manu e pra toda família dela!



    Dados para doação:
    Nome: Manuela dos Santos Freitas
    Matricula: 6167358  D
    Hemocentro  HC – Av. Dr. Enéas de Carvalho, 155
    (estação clinicas - prédio dos ambulatórios)



    OLHEM QUE PRINCESA MAIS LINDA !!!!!!!


    sexta-feira, abril 01, 2011

    Idade Real e Idade Corrigida de um bebê prematuro

    IDADE CORRIGIDA VERSUS IDADE REAL

    O desenvolvimento do bebê, incluindo o seu desenvolvimento físico, intelectual e a capacidade de comunicação, poderá ser diferente do padrão típico de um bebê de termo com o tempo de gestação completo. Por isso, não podemos exigir que o bebê prematuro atue como se fosse um bebê nascido de termo (9 meses).
    A maior parte dos bebês prematuros ultrapassam o seu atraso de desenvolvimento durante os 2 a 3 primeiros anos de vida, mas existem outros que sofrem de problemas a longo prazo.
    Essas crianças, que nasceram extraordinariamente cedo, necessitam de um apoio médico prolongado por sofrerem de complicações adicionais que poderão implicar em atrasos no seu desenvolvimento.


    DEFINIÇÃO E CÁLCULO DA IDADE CORRIGIDA

    A "idade real" ou "idade cronológica" é o tempo de vida extra-uterino.
    A "idade corrigida" traduz o ajuste estabelecido face à idade cronológica, em função do grau da prematuridade.
    Por ter nascido prematuro, é muito provável que o bebê não atinja os parâmetros típicos associados aos bebês de gestação completa. Por isso, é preferível pensar no desenvolvimento da criança tendo em conta a sua "idade corrigida".

    IDADE CORRIGIDA = IDADE ATUAL DO BEBÊ - NÚMERO DE MESES DE PREMATURIDADE


    Até quando se deve corrigir a idade de um bebê prematuro?


    Embora não esteja totalmente esclarecido até quando se deve corrigir a idade do prematuro, a maioria dos autores recomenda utilizar a idade corrigida na avaliação do crescimento e do desenvolvimento até os 2 anos de idade, a fim de obter a expectativa real para cada criança, sem subestimar o prematuro ao confrontá-lo com os padrões de referência.
    Para os prematuros de Extremo Baixo Peso e menores que 28 semanas, recomenda-se corrigir a idade até os 3 anos.
    Abaixo, segue tabela com os marcos típicos do desenvolvimento dos bebês. Se seu bebê também é prematuro, utilize a tabela de uma forma diferente, ou seja, considere a idade corrigida e não a idade real ou cronológica da criança.


    Idade: 1 mês de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Levanta a cabeça durante alguns segundos, quando está deitado de barriga para baixo.
    Coordenação motora fina: Punhos fechados com aberta e encerramento aleatórios; leva as mãoes à boca; fixa atentamente objetos e luzes.
    Capacidade cognitiva: Começa a lidar com difernetes registros sensoriais (no entanto, a maior parte dos movimentos são aleatórios e reflexos relativamente ao meio).
    Comunicação: Chora para dar a conhecer suas necessidades, ouve e acalma-se com a voz; acompanha com os olhos.
    Sociabilidade: Foca as caras; gosta que lhe falem e lhe peguem. 


    Idade: 3 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Controle razoável da cabeça quando está de barriga para cima e numa posição apoiada; levanta a cabeça e o peito quando esta virado de barriga para baixo; estica os braços e as pernas simultâneamente e de modo simétrico.
    Coordenação motora fina: Os olhos seguem objetos em movimento lento; junta as mãos ao nível do peito. 
    Capacidade cognitiva: Começa a perceber que os movimentos do corpo mexem; bate no móbile com as mãos balança-se na cadeirinha; começa a realizar movimentos que dão origem a uma resposta.
    Comunicação: Vocaliza e ri; tem choros diferentes para coisas diferentes (fome, dor e aborrecimentos). Sociabilidade: Sorri com facilidade e espontaneamente.



    Idade: 6 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Vira-se sozinho e começa a sentar-se com apoio; consegue sustentar-se sozinho sobre o braço enquanto está deitado de lado; puxa-se para a frente com os braços quando esta deitado de barriga para baixo. 
    Coordenação motora fina: Alcança e agarra-se com ambas as mãos; muda os brinquedos de uma mão para a outra.
    Capacidade cognitiva: Abana a roca; começa a imitar gestos que percebe e começa a sorrir franzindo as sombrancelhas; tem um interesse acrescido pelo que o rodeia e nos resultados das suas ações.
    Comunicação: Balbucia, ri e vocaliza, volta-se para ver de onde vêm os novos sons.
    Sociabilidade: Percebe a presença de estranhos; sorri para a sua imagem quando refletida no espelho.
    Atenção: Consultem seu pediatra ou um especialista do desenvolvimento caso seu bebê apresentar qualquer um destes sinais com esta idade:
    * Dificuldade em levantar-se a mão e a levantar-se nos bracinhos quando esta de barriga para baixo.
    * Não consegue ficar deitado de lado para brincar com os brinquedos.
    * Não consegue sentar, mesmo com apoio
    * Não consegue virar sozinho ou vira-se arqueando o pescoço e as costas.
    * Não faz qualquer esforço para alcançar ou bater nos objetos que o rodeiam.
    * Não volta a cabela à procura de um som ou se não procura objetos com seus olhos.
    * Agarra os objetos com muita fraqueza e mantem-nos nas mãos por apenas alguns instantes.
    * Mantém punhos fechados ou mantém o polegar dentro do punho.
    * Não consegue levar as mãos à boca.
    * Continua a ter problemas a beber pelo biberão ou a comer os primeiros sólidos.
    * Não vocaliza nem balbucia


    Idade: 9 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Senta-se e sai dessa posição sozinho com a ajuda independente dos quatro membros; engatinha (com as mãos e joelhos).
    Coordenação motora fina: Aponta com o dedo indicador.
    Capacidade cognitiva: Coloca os brinquedos e tira-os de dentro de recipientes.
    Comunicação: Começa a utilizar sons com duas sílabas (“mamã” ou “papá”).
    Sociabilidade: Respostas ansiosas a estranhos; grande ligação com os pais. 


    Idade: 12 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Anda sozinho (pode levar até aos 15 meses).
    Coordenação motora fina: Utiliza o polegar e o indicador para levar com firmeza pedaços pequenos de comida à boca; coloca objetos dentro de um recipiente pequeno.  
    Capacidade cognitiva: Começa a utilizar objetos para funções específicas (escova para pentear o cabelo); começa a antecipar que um comportamento terá uma consequência.
    Comunicação: Diz pelo menos duas palavras para além de “mamã” e “papá”, reconhece o seu próprio nome, imita palavras familiares.
    Sociabilidade: Tímido, mas gosta de atenção e de brincar; dá afeto e faz carícias
    Atenção: Consultem seu pediatra ou um especialista do desenvolvimento caso seu bebê apresentar qualquer um destes sinais com esta idade:
    * Senta-se mas não o consegue fazer sozinho.
    * Engatinha ou “saltita” movimentando ao mesmo tempo para a frente as duas pernas.
    * Não consegue apanhar com facilidade pequeno objetos como pedacinhos de comida.* Não procura um objeto escondido, não consegue vocalizar combinações de uma consoante com uma vogal (“da”).* Não olha para livros durante curtos períodos de tempo (lembrem-se de que está muito ocupado a aprender a engatinhar ou a andar, pode não se interessar muito por actividades paradas. Encorajem-no a interessar-se por atividades “sossegadas”, como olhar para livros com imagens)
    * Não responde a frases simples familiares, como papa-a-papa.* Utiliza um lado do corpo muito mais do que o outro.


     Idade: 18 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Dá passos enquanto se agarra a um apoio; “corre”.
    Coordenação motora fina: Constrói torres com 3-4 blocos.
    Capacidade cognitiva: Inicia o método por tentativas em termos de raciocínio; começa a compreender a argumentação.
    Comunicação: Aponta para três partes básicas do corpo; obedece a pedidos simples; conhece e identifica pelo menos 2-5 objectos familiares, utiliza 10-20 palavras, incluindo nomes, combina 2 palavras (“dá bebé” ou “tá-tá”).
    Sociabilidade: Ajuda em tarefas simples; imita espontaneamente as acções dos outros.
    Atenção: Consultem seu pediatra ou um especialista do desenvolvimento caso seu bebê apresentar qualquer um destes sinais com esta idade:
    * Não anda ou anda constantemente só nas pontas dos pés.* Não imita sons ou não produz combinações de quaisquer sons que representem uma palavra (“aua” para água).* Não consegue construir uma torre com blocos.* Está mais interessado em colocar os brinquedos na boca, do que brincar propositadamente com eles com as mãos.* Compreende menos de oito palavras.


    Idade: 18 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Ao subir escadas alterna os dois pés; dá pontapés numa bola
    Coordenação motora fina: Empilha 6 cubos; vira sozinho as páginas de um livro.
    Capacidade cognitiva: Faz corresponder formas como o círculo, o triângulo e o quadrado; compreende para que servem muitos objectos.
    Comunicação: Utiliza frases com duas palavras; compreende perguntas e ordens simples; pede para beber.
    Sociabilidade: Lava e enxagua as mãos; ajuda a vestir-se.
    Atenção: Consultem seu pediatra ou um especialista do desenvolvimento caso seu bebê apresentar qualquer um destes sinais com esta idade:
    * Não consegue juntar duas palavras numa frase.* Não identifica objectos básicos ou imagens de objectos básicos.* Brinca de um modo essencialmente por imitação e não toma a iniciativa de brincar sozinho, tem algumas capacidades motoras que têm pouco equilíbrio e controlo (cai ou tropeça mais vezes do que as crianças da sua idade.
    * Não responde a ordens simples como “dá à mamã”.* Não consegue identificar partes básicas do corpo.


    Idade: 30 meses de idade corrigida
    Coordenação motora geral: Salta com os dois pés.
    Coordenação motora fina: Enfia contas; segura no lápis com a mão, não com o punho
    Capacidade cognitiva: Sabe canções simples acompanhadas com gestos; começa a ter conhecimentos básicos.
    Comunicação: Utiliza os pronomes “eu”, “tu” e “mim” correctamente, sabe o nome completo; pode dizer “não” quando quer dizer “sim”.
    Sociabilidade: Joga ao jogo de gato e do rato; afirma a sua personalidade.
    Atenção: Consultem seu pediatra ou um especialista do desenvolvimento caso seu bebê apresentar qualquer um destes sinais com esta idade:
    * Não consegue juntar duas palavras numa frase.* Não identifica objectos básicos ou imagens de objectos básicos.* Brinca de um modo essencialmente por imitação e não toma a iniciativa de brincar sozinho, tem algumas capacidades motoras que têm pouco equilíbrio e controlo (cai ou tropeça mais vezes do que as crianças da sua idade.
    * Não responde a ordens simples como “dá à mamã”.* Não consegue identificar partes básicas do corpo.

    Extraído de “Guia dos Pais do Bebê Prematuro”, Abbott Laboratórios Lda., páginas 77 a 83
    Fonte: “Guia dos Pais do Bebê Prematuro”, Abbott Laboratórios Lda.; www.marchofdimes.com